O OPINÃO

DUA DEIXA O ANDEBOL AINDA MAIS POBRE

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Dizer que a morte de um desportista deixa a modalidade na qual esteve envolvido ainda mais pobre é uma espécie de buscar palavras ir aos lugares comuns em ocasiões de luto. É isso que normalmente se diz em discursos fúnebres. O contrário, não elogiar um morto, mesmo sendo certo que o finado é desmerecedor de um elogio, seria uma es-pécie de um crime.

Para certas ocasiões é uma espécie de praxe ir se buscar frases feitas e incorporar-lhes no discurso. No final dos jogos de futebol, por exemplo, o técnico Artur Semedo diz que existem os famosos “lugares comuns” para onde os treinadores vão para fazer o seu discurso. É o mesmo que apelar à humildade, dizer que a sua equipa teve sorte em um e outro aspecto para ter a sorte de ganhar o jogo e que, no fundo, o adversário até teria sido superior em termos de produção em campo e infeliz no resultado.

Em suma, fica bem a quem assim se porta, mas não estamos aqui à procura de sermos bem vistos pelos leitores quando escolhemos dizer que com a morte, semana passada, de Eduardo Fumo, mais conhecido por Dua, o andebol moçambicano ficou mais pobre.

Narciso Nhacila
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Publicidade
DStv
Publicidade
SN-GRÁFICA

Director: Almiro Santos
Chefes da Redacção:
Reginaldo Cumbana e Gil Carvalho

Desafio é um Jornal desportivo, produto da Sociedade do Notícias.

O Jornal esta disponível em formato físico impresso, o mesmo pode ser lido em formato electrónico.

Play Store

AppStore

SNLogo2

Propriedade da Sociedade do
Notícias, SARL
Direcção, Redacção e Oficinas
Rua Joe Slovo, 55 • Cx.Postal 327
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
( Tel's: 21320119 / 21320120 )
Script:
Topo
Baixo